Resumo Acupuntura para Controle da Dor

Autores: Yun-tao Ma, Mila Ma, Zang Hee Cho

Editora: Roca

Título original Biomedical Acupuncture for Pain Management.


É um guia prático que se concentra no tratamento da dor e reabilitação do trauma. Os autores procuram unir a medicina ocidental com a medicina oriental tradicional dando ênfase a "biomedicalização" da acupuntura. Eles acreditam que essa é uma tendência inevitável que pode eliminar a demarcação entre medicina ocidental e oriental levando a formação de uma medicina integrada.





4 Pontos fundamentais do livro


A acupuntura estimula mecanismos de autocura


Não existe um estilo único de acupuntura, estima-se que existam mais de 80 estilos diferentes na China, além dos estilos japoneses, coreanos, vietnamitas, europeus e americanos. A característica comum de todos os estilos é a utilização de agulhas que provocam microlesões que ativam os mecanismos centrais e periféricos de sobrevivência do corpo: o potencial de autocura.

Os mecanismos centrais e periféricos são fisiologicamente inseparáveis.

No mecanismo central, a inserção das agulhas estimulam partes do cérebro que ativam o sistema nervoso, endócrino, imunológico e cardiovascular ajudando a normalizar as atividades fisiológicas.

No mecanismo periférico, a inserção das agulhas provoca as seguintes reações:

reação cutânea local (vasodilatação), relaxamento do encurtamento muscular, melhora da circulação sanguínea, estímulo das respostas imunes locais, síntese de DNA para reparar o tecido lesado pela agulha.


Homeostase e Potencial de Autocura


A homeostase fisiológica é a capacidade do organismo em manter o equilíbrio dinâmico ( yin e yang) e o potencial de autocura é a capacidade do organismo retornar a homeostase. O potencial de autocura é modificado pela constituição genética, doenças, estilo de vida, ambiente e pela idade. Portanto cada um tem uma capacidade de autocura diferente. Entretanto, esse potencial muda dinamicamente: deteriora, se a pessoa abusa da própria saúde e melhora, se a pessoa cuida bem de si.

O potencial de autocura individual de cada paciente e a gravidade do problema de saúde influenciam a eficácia da acupuntura.


Os acupontos do ponto de vista neuroanatômico


  • Os acupontos existem em colaboração com os nervos sensoriais ou com tecidos inervados pelos nervos sensoriais. Todos os acupontos têm receptores nervosos sensoriais.

  • A configuração neuranatômica do ponto determina a dinâmica fisiopatológica. Os acupontos associados com um tronco nervoso maior são mais propensos a se tornarem doloridos.

  • Os acupontos não são pontos estáticos, mas estruturas que mudam dinamicamente. Sob certas condições ficam doloridos.

  • A sensibilidade dos acupontos podem indicar lesões nos tecidos periféricos, como nervos, músculos, ligamentos, cápsulas articulares, ou podem indicar que os neurônios sensibilizados do sistema nervoso central tenham provocado sensibilidade periférica.


Sistema de Acuponto Neuromuscular Integrado (SANMI)


Os acupontos são capazes de se tornar sensíveis, levemente doloridos ou até muito doloridos quando expostos a um distúrbio patológico. O número de acupontos sensíveis e doloridos se desenvolvem gradualmente conforme a homeostase declina. No método do SANMI é avaliado a sensibilidade dos acupontos, quanto maior o número de acupontos sensíveis mais sessões podem ser necessárias para o alívio da dor. Nessa avaliação também se considera a cronicidade e as disfunções de saúde do paciente, pois essas condições interferem no potencial de autocura. Por exemplo, quando a dor é aguda sensibiliza apenas os neurônios periféricos, enquanto a dor crônica sensibiliza neurônios centrais e periféricos, por isso a maioria das dores crônicas necessitam de mais tempo de tratamento e são mais suscetíveis a reincidência.

A dinâmica da sensibilidade dos pontos tem três fases:

  • Fase latente os acupontos não estão sensíveis e nem doloridos a palpação;

  • Fase passiva os acupontos são sensíveis a palpação;

  • Fase ativa doloroso sem palpação.


Minhas considerações


A palpação dos acupontos descrita no livro lembra as técnicas de avaliação da acupuntura japonesa. Sendo que no estilo japonês tem mais sutilezas e ainda se avalia a profundidade da dor e a rigidez muscular no local do ponto. A dinâmica do acuponto também já foi citada pelos 10 mandamentos de Fukaya na acupuntura japonesa.

É um livro que busca desmistificar e simplificar a prática da acupuntura. Como tive uma formação de base científica me trouxe uma compreensão melhor porque me ajudou a unir os conceitos ocidentais e orientais. Pode ser que alguns profissionais não gostem tanto da proposta do livro, pois apesar de fundamentar os protocolos de tratamento nos acupontos tradicionais, a teoria dos canais é considerada como um "gargalo estreito que impede o desenvolvimento da acupuntura para o futuro". Acredito que ainda temos muito para conhecer sobre a acupuntura e a saúde humana, pode ser precipitado descartar a teoria dos canais com objetivo de encaixar a acupuntura no pensamento ocidental. A visão biomédica é muito útil na compreensão mecânica e racional porém tem a tendência em descartar as possibilidades enquanto não encontra uma explicação. Além de compreender os mecanismos da acupuntura devemos lembrar que a riqueza da medicina oriental tradicional está na integração do corpo, mente e espírito, que traz uma compreensão profunda sobre a saúde e a vida.








Enf. Ândrya Nayane

Coren-RS 271600

Graduação Enfermagem- UFRGS

Residência em Saúde Mental- HCPA/UFRGS

Especialização em Acupuntura- IBRAMPA

Acupuntura para harmonizar corpo e mente.

Bem-estar e saúde como um todo.

Rua Barão do Triunfo, 720, sl. 208

Menino Deus, Porto Alegre, RS